Conecte-se conosco

Saúde

FAZER TERAPIA É UMA DAS SUAS METAS PARA 2024? por Alana Anijar

Publicado

em

Compartilhar

Sei que janeiro já foi, mas ainda dá tempo de falar sobre as promessas para 2024, né? Vamos ter em mente aquele ditado que diz que o ano só começa depois do Carnaval. Brincadeiras à parte, percebo que as resoluções de réveillon são, direta ou indiretamente, relacionadas com uma melhora na qualidade de vida. Os objetivos mais populares envolvem começar a se exercitar, diminuir o consumo de alimentos industrializados, viajar com mais frequência… Entretanto, acho que nunca vi ninguém dizer que fazer terapia é uma das metas do ano.
 

Dependendo da companhia e do contexto, afirmar em voz alta a vontade de começar a fazer terapia pode resultar em um climão. É como se a busca por ajuda profissional não fosse interpretada como uma oportunidade de autocuidado e de uma melhora holística na saúde; é como se fosse vista como uma vulnerabilidade constrangedora. Isso acontece porque, para muitas pessoas, a definição de saúde mental ainda é nebulosa e o sofrimento emocional é erroneamente associado com loucura.
 

Esse é um estigma extremista e equivocado que não pode mais ter espaço em uma sociedade cada vez mais ansiosa, por exemplo. Inclusive, o Brasil é o país mais ansioso do mundo, de acordo com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mais de 9% da população brasileira vive com transtornos de ansiedade, o que mostra que a doença é mais comum do que se imagina. Para reverter esse cenário ou impedir que essa situação piore, a busca pela ajuda profissional precisa ser desmistificada.
 

O primeiro passo para essa desconstrução é entender como funciona e qual é o objetivo da terapia. A psicoterapia parte da premissa de melhorar a qualidade de vida e tratar transtornos emocionais com base no diálogo, acolhimento e escuta ativa. Apesar da conversa ser um pilar característico da terapia, é importante saber que a sessão de terapia não é como um bate-papo com amigos. Inclusive, o nome da troca que fazemos durante as sessões é chamada de Relação Terapêutica; um tipo de relação baseada em confiança e colaboração, mas não em amizade.

Um amigo bem intencionado pode dar conselhos, broncas e orientações, já o psicólogo usará técnicas que promovem a psicoeducação, uma estratégia que visa promover o autoconhecimento do paciente que resulte em uma mudança necessária de comportamentos e pensamentos. Em suma, um bom psicólogo nunca vai ditar o que ser feito, mas vai oferecer todo suporte para que o paciente encontre as respostas que deseja e descubra qual decisão é a que faz mais sentido em sua vida.

A psicoterapia é uma oportunidade para exercer uma autonomia plena em uma vida saudável e com propósito, sem se deixar ser tragado por sentimentos, pensamentos, comportamentos ou até mesmo por outras pessoas. Sendo assim, fico na torcida para que os objetivos estipulados para o ano não foquem somente na saúde física, mas que também promovam a saúde mental para que todos os aspectos de uma boa qualidade de vida sejam assistidos. Afinal de contas, como gosto de frisar: mentes saudáveis criam um mundo melhor.

Sobre Alana Anijar

Alana é psicóloga formada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), especializada em Terapia Cognitivo Comportamental e mestranda.

Fundou junto com o marido, em março de 2020, o Psi do Futuro, especialistas em empreendedorismo digital para psicólogos, ajudando milhares de estudantes e profissionais a conquistar a tão sonhada agenda lotada e viver bem da profissão.

Hoje, já alcançou mais de 3 milhões de pessoas direta e indiretamente para mostrar que a Psicologia pode ser moderna, dinâmica e acessível para todos.

Copyright © 2023 Portal Orbisnews | Direção Geral Jornalista Fausto Camunha | Todos os artigos são de responsabilidade de seus autores.