Conecte-se conosco

Clima

NASA QUER AMPLIAR MONITORAMENTO DA AMAZÔNIA por Ricardo Cavalcanti Albuquerque

Publicado

em

Compartilhar

Manchete do jornal O Estado do Ceará. ” NASA quer ampliar monitoramento da Amazônia”NASA quer  ampliar parceria com o Brasil no monitoramento do desmatamento da Amazônia e em ações de preservação. O leitor tem certamente, lido e ouvido muito sobre queimadas na Amazônia, porém não sabe  de  alguns detalhes. Por exemplo : o monitoramento da cobertura florestal da Amazônia por satélites realizado pelo INPE, conta com quatro sistemas principais: PRODES, DETER, DEGRAD e DETEX. A estimativa da área queimada é feita quinzenalmente  no Programa  Queimadas por outro sistema, com imagens de resolução espacial média ( Satélite Landsat-8, sensorOLI , definição 30 m ). Portanto o Instituto Nacional de Pesquizas Espaciais ( INPE)  é o órgão governamental  responsável pela mediç&at ilde;o  e análise dos focos de queimadas em todo o país. Ao tratarmos de queimadas podemos distinguir dois tipos: as naturais e as artificiais ( antropicas). As primeiras podem acontecer  por meio de outros eventos naturais , como a queda de um raio ou a ocorrência  de tempo muito seco  com altas temperaturas e baixa umidade. Vamos lembrar que o clima árido e semiárido que contenham vegetação, com a ajuda do vento e da baixa umidade, fagulhas pode surgir de forma natural, causando incêndios que, em alguns casos, podem chegar a proporções enormes.Já as queimadas artificiais são aquelas em que o ser humano  ateia fogo em alguma área para eliminar possíveis entulhos ou matéria orgânica. É uma prática antiga , mas que traz sérios danos ao solo e à qualidade do ar. Geralmente esse tipo  de queimada tem como justificativa a limpeza de um terreno para novo plantio, pasto, abertura de grandes áreas , estradas  e etc. A grande solução para as queimadas seria a interrupção dessa prática pela população , mas sabemos que isso é impossível, uma vez que tal prática é histórica e acompanha  os seres humanos desde seus primórdios. Existe um Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia legal- PPCDAM, porém toda a ajuda interna ou externa, para combater as queimadas será muito bem vinda. É dever de todos cuidarmos do meio ambiente, e as queimadas na Amazônia agora mais do que nunca. A Amazônia registrou 768 focos de queimadas  em abril deste ano. A taxa representa exatamente o dobro do acumuladora mesmo período  do ano passado 384 focos foram registrados. Os dados oficiais foram divulgados pelo Programa Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. O mesmo instituto INPE, registra no mês de junho quatro focos desincendios  por hora na floresta. Os trinta dias de junho tiveram o maior número de queimadas registradas para o mês, na Amazônia e no cerrado , nos últimos 16 anos de acordo  com dados do INPE. Foram 3.075 focos de incêndio na Floresta Amazônica, número que só é menor do que  o 3.519 contabilizados no mesmo mês de 2007. Toda ajuda, todo trabalho de concientizaçao da população da região, enfim tudo que vier somar para diminuir as queimadas na Amazônia , que venha logo e será muito bem recebido.

Ricardo Cavalcanti de Albuquerque, advogado, jornalista e ex-Secretario de Estado

Continue lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2023 Portal Orbisnews | Direção Geral Jornalista Fausto Camunha | Todos os artigos são de responsabilidade de seus autores.